Tamanho do texto

De acordo com a Associação Comercial de São Paulo, a redução no porcentual de inadimplentes é fruto da forte campanha de renegociação de dívidas feita pelo comércio

Agência Estado

Levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) aponta que o Indicador de Registro de Inadimplentes (IRI) deve crescer 7,4% em 2012, uma perda de ritmo perante o aumento de 11,1% registrado no ano passado. Já o Indicador de Recuperação de Crédito (IRC) deve avançar 12,6% este ano, apontando uma melhora comparativamente ao aumento de 9,1% apurado em 2011. De acordo com o levantamento, o IRI cresceu na primeira quinzena de dezembro 4,2% sobre igual período de novembro e 10,5% sobre os primeiros quinze dias de dezembro do ano passado. Já a recuperação do crédito avançou, respectivamente, 53,3% e 27%.

Veja mais:  Inadimplência do consumidor caminha para normalização em 2013, diz Serasa

De acordo com o economista da ACSP Marcel Solimeo, a redução no porcentual de inadimplentes e a consequente alta no registro de recuperação de crédito é fruto da forte campanha de renegociação de dívidas feita pelo comércio, bem como do uso da primeira parcela do 13º salário dos consumidores para saldar as dívidas. Segundo ele, por causa dessas operações, o Indicador de Movimento do Comércio (IMC), que registra as vendas a prazo, de maior valor, apontou uma alta de apenas 0,1% na primeira quinzena de dezembro deste ano sobre a mesma quinzena de 2011 e uma alta de 34,4% sobre igual período de novembro, marcado por dois feriados.

Segundo Solimeo, a expectativa feita a partir de projeções com o comércio é de que o volume das vendas cresça nesta segunda quinzena de dezembro devido à renegociação de dívidas já feita e da injeção de dinheiro pela segunda parcela do 13º salário. A associação espera que o movimento do comércio apresente um crescimento de 3% no fechamento de 2012 sobre 2011, quando houve uma alta de 4,1% sobre o ano anterior.

Veja também:  Inadimplência do consumidor caiu 0,1% em novembro

A ACSP informou ainda que o Indicador de Consulta de Cheques (ICH), que aponta as vendas à vista, normalmente de menor valor, cresceu 5,7% na primeira quinzena de dezembro ante igual período de 2011 e avançou 50,9% sobre a primeira quinzena de novembro. A ACSP espera que as vendas à vista cresçam 2,3% em 2012 ante 3,8% em 2011.

Em nota, o presidente da ACSP de São Paulo, Rogério Amato, informou sem dar números, que a expectativa de 2013 é que haja um maior crescimento nas vendas no varejo, considerando três fatores: o crescimento do emprego e da massa salarial, a queda da taxa básica de juros (Selic) e a redução da inadimplência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.