Tamanho do texto

No acumulado do ano até o mês passado, o IED atingiu US$ 59,893 bilhões, resultado que equivale a 2,89% do Produto Interno Bruto

Agência Estado

O total de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil no mês de novembro somou US$ 4,587 bilhões, informou o Banco Central (BC) nesta terça-feira. O montante superou o teto das estimativas colhidas pelo AE Projeções, que variavam de US$ 2,7 bilhões a US$ 4,1 bilhões.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED atingiu US$ 59,893 bilhões, resultado que equivale a 2,89% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado de 12 meses, também até novembro, o IED está em US$ 66,536 bilhões, o equivalente a 2,92% do PIB.

Remessas

O saldo das remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 2,023 bilhões em novembro. As remessas somaram US$ 19,729 bilhões no acumulado do ano até o mês passado, volume que representa uma queda em relação ao resultado do mesmo período de 2011 (US$ 33,426 bilhões).

As despesas com juros externos atingiram US$ 1,020 bilhão em novembro, acumulando no ano resultado de US$ 9,642 bilhões. No mesmo período de 2011, esses gastos somavam US$ 7,975 bilhões.

Mercado financeiro

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou negativo em novembro em US$ 321 milhões. No acumulado do ano, o resultado está positivo em US$ 2,341 bilhões. Já o investimento estrangeiro em títulos de renda fixa ficou positivo em US$ 613 milhões em novembro e soma US$ 5,575 bilhões no acumulado do ano até o mês passado.

Rolagem

A taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos obtidos no exterior mostrou recuperação depois de uma drástica queda no mês de outubro. Segundo dados do Banco Central divulgados nesta terça-feira, essa taxa ficou em 267% em novembro.

No mês passado, estava em 113%. De janeiro a novembro, a taxa de rolagem está em 196%, bem abaixo dos 487% verificados no mesmo período de 2011. Naquele ano, o fechamento da taxa de rolagem foi de 460%. Em novembro, a rolagem de papéis ficou em 829%, enquanto a dos empréstimos diretos, em 151%. No acumulado do ano até novembro, essas taxas são de respectivamente, 237% e 179%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.