Tamanho do texto

Inicialmente, União havia oferecido ressarcir a empresa em R$ 14 bilhões

Reuters

BRASÍLIA, 17 Dez (Reuters) - A Eletrobras deverá receber indenização de cerca de R$ 8,5 bilhões por ativos de transmissão anteriores a maio de 2000 ainda não amortizados, no processo de renovação antecipada e condicionada de concessões do setor elétrico informou uma fonte da empresa à Reuters nesta segunda-feira.

Com isso, o ressarcimento total à Eletrobras por ativos de geração e transmissão pode alcançar ao redor de R$ 25 bilhões, segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato.

O valor é mais próximo dos R$ 30 bilhões que a estatal calculava como o montante que receberia pelos investimentos não depreciados.

Inicialmente, a União ofereceu ressarcir a Eletrobras em R$ 14 bilhões por linhas de transmissão e usinas hidrelétricas cujas concessões venceriam entre 2015 e 2017.

Além da maior indenização por ativos das transmissoras anteriores a 2000, a Eletrobras receberá mais pela decisão do governo de remunerar as companhias elétricas por investimentos realizados fora do projeto básico.

Por dispêndios para ampliação, reforma e modernização de suas usinas atingidas pela renovação das concessões, o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, já havia dito no começo de dezembro esperar indenização adicional de 3 bilhões a 4 bilhões de reais.

A Eletrobras é o grupo de energia mais afetado pela renovação onerosa das concessões, parte do plano da presidente Dilma Rousseff para reduzir a conta de luz em 20 por cento, na média, em 2013, para aumentar a competitividade da indústria nacional e estimular a economia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.