Tamanho do texto

"Somos neutros em relação a essas questões", afirmou o presidente do Banco Central

Agência Estado

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou em audiência no Senado que decisões que afetem o custo da energia e dos combustíveis no País não passam pela autoridade monetária. Ele reconheceu, entretanto, que esses custos no Brasil são mais elevados do que de outros países, até mesmo quando a comparação ocorre dentro da América Latina.

Veja também:  Não há data para aumentar combustíveis, reitera Graça

"Os preços de energia no País são superiores aos dos nossos competidores. Sobre isso, existe uma política de competitividade por parte do governo, e não de controle de inflação. O BC sempre olha para inflação cheia, e não para determinados preços", afirmou em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

"Sobre o preço da gasolina, a definição ocorre fora do Banco Central, somos neutros em relação a essas questões", completou, ressaltando que a autoridade monetária se limita a incorporar eventuais alterações nesses preços em suas projeções.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.