Tamanho do texto

Fabricante canadense assegura encomendas por jatos regionais avaliadas em até US$ 3,6 bilhões, recuperando terreno num segmento que vinha sendo dominado pela rival brasileira

Reuters

A canadense Bombardier assegurou encomendas por jatos regionais estimadas em até US$ 3,6 bilhões da Delta Air Lines e de um cliente não-revelado da China, recuperando terreno num segmento que vinha sendo dominado pela rival brasileira Embraer.

- Novo avião da Embraer é testado em túnel de vento holandês. Assista ao vídeo

A Delta fez pedido firme por 40 aviões Bombardier CRJ900, com a opção de comprar mais 30 unidades, em um acordo de até US$ 3,29 bilhões. No fim desta quinta-feira, a Bombardier informou que um cliente chinês fechou a compra de sete aeronaves CRJ700 por US$ 330 milhões.

Empresa norte-americana Delta vai renovar sua frota com o jato executivo Bombardier CRJ900 NextGen
Divulgação
Empresa norte-americana Delta vai renovar sua frota com o jato executivo Bombardier CRJ900 NextGen

Juntas, as encomendas dão fôlego à divisão de aviões comerciais da Bombardier e ofuscam as esperanças de que a Embraer, que estava na disputa pelo contrato da Delta, possa manter o ritmo de produção estável no ano que vem.

- Fotos: Embraer faz primeiro voo com Legacy 500

As ações da Embraer na Bovespa chegaram a cair 7%, mas fecharam o dia com baixa em torno de 3%, enquanto as da Bombardier em Toronto ganharam 1,8%.

A Bombardier vinha entregando cerca de metade dos jatos comerciais da Embraer nos últimos anos e perdendo muitas encomendas importantes disputadas com a fabricante brasileira, especialmente na China, onde a Embraer tem conseguido participação de cerca de 75% no mercado de jatos de até 120 assentos.

Neste ano, contudo, a Bombardier conseguiu encomendas por mais de 90 jatos regionais --incluindo os anúncios desta quinta-feira --, comparado a 12 vendas líquidas (excluindo cancelamentos) da Embraer até o fim de setembro.

A encomenda da Delta marca o primeiro grande pedido de uma companhia aérea norte-americana no processo de renovação das frotas de aviões regionais nos Estados Unidos que deve ganhar força no ano que vem, incluindo possíveis compras de jatos por SkyWest e American Airlines, controlada pela AMR.

Sem novas encomendas na aviação comercial até o começo de 2013, o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, disse no mês passado que a fabricante não seria capaz de manter estável a produção de E-Jets em 2013, com seu backlog nesse segmento no menor nível em seis anos.

Curado disse, na ocasião, que a Delta era a companhia aérea com maior chance de fazer uma encomenda grande por jatos regionais neste ano.

Procurada, a assessoria de imprensa da Embraer disse neta quinta-feira que a empresa não planeja, neste momento, reduzir o ritmo de produção de jatos comerciais em 2013 quando comparado a 2012.

DELTA RENOVA FROTA

A Delta tem tomado uma série de medidas para renovar sua frota, eliminando aviões menos eficientes e adicionando mais serviços de primeira classe para atrair passageiros corporativos.

O acordo da Delta com a Bombardier prevê também que a empresa canadense ajude a companhia aérea a retirar de sua frota 60 jatos CRJ200, de 50 passageiros, em uso atualmente.

A Delta espera começar a receber novos aviões Bombardier e Boeing no segundo semestre de 2013.

No começo deste ano, a Delta acertou a compra de 88 aviões Boeing 717-200 com 110 lugares que atualmente estão em uso pela AirTran, unidade da Southwest Airlines. No ano passado, a Delta encomendou 100 aeronaves 100 Boeing 737-900ER.

As ações da Delta subiram mais de 3% na Bolsa de Valores de Nova York.

(Por Brad Haynes e Karen Jacobs -Reportagem adicional de Krithika Krishnamurthy em Bangalore e Cesar Bianconi em São Paulo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.