Tamanho do texto

Alta mensal carioca foi menor que 1%; na capital, houve recuo pelo terceiro mês seguido

Pela primeira vez em quatro anos, a alta mensal no preço de imóveis do Rio de Janeiro foi menor que 1%, aponta o índice FipeZap, calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas a partir do valor de cerca de 150 mil unidades selecionadas entre os anúncios do site Zap Imóveis. Em novembro, as casas e apartamentos da cidade tiveram valorização de 0,89%, consolidando tendência de esfriamento dos últimos meses (veja no gráfico abaixo).

- Veja também: em outubro, preços de imóveis também desaceleram nas capitais

"Isso não significa que o mercado esteja 'frio', uma alta de 0,89% em um mês ainda é algo relevante" diz Eduardo Zylberstajn, pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e coordenador do índice. "Depois de um período de 'boom', é esperado que se siga uma valorização mais moderada", afirma o economista. 

- E ainda: ranking afirma que Brasília é a melhor cidade para se viver no País

No Distrito Federal, o valor das casas e apartamentos recuou pelo terceiro mês consecutivo, segundo o indicador. Em novembro, os apartamentos e casas da capital ficaram 0,15% mais baratos que no mês anterior. Em quatro dos últimos cinco meses, o índice registrou desvalorização no preço médio dos imóveis da cidade – apenas em agosto houve ligeira alta, de 0,16% (veja também no gráfico).

"Se descontarmos a inflação para obter o dado real, houve uma desvalorização entre 2% e 3% no metro quadrado dos imóveis do DF neste ano", afirma Zylberstajn. 

Preços esfriam no RJ e DF

Veja a variação mensal no preço dos imóveis nas duas cidades

Gerando gráfico...
Fonte: FipeZap / em %

"É natural que haja preocupações sobre uma eventual bolha imobiliária ter se formado, ainda mais quando vemos as crises que ocorreram recentemente em outros mercados", acredita Zylberstajn. "Mas a gente vive um momento de mudança na nossa economia, com redução nos juros (o que valoriza ativos como imóveis) e aumento na renda da população, que explicam o fato de ter havido uma valorização. A grande dúvida é se o patamar ao qual os preços chegaram é sustentável", afirma. 

Outras capitais

Em São Paulo, segundo o FipeZap, os preços subiram 1,2% em novembro, após alta de 1,1% no mês anterior. A valorização mensal dos imóveis da cidade tem se mantido mais ou menos nesse patamar ao longo de todo o ano. Nos 12 meses anteriores a novembro, a alta acumulada pelos imóveis da capital paulista é de 16,4%.

O pior desempenho de novembro foi registrado em Fortaleza. O preço dos imóveis da cidade recuou 1% em novembro, repetindo a queda de outubro. Recife, Salvador e Belo Horizonte tiveram subida nos preços, de 0,4%, 1,2% e 1%, respectivamente.

No índice composto, que leva em conta as sete regiões metropolitanas pesquisadas, a valorização no mês de novembro foi de 0,9%, confirmando tendência de desaceleração nos preços verificada nos últimos meses .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.