Tamanho do texto

Alta na criação de postos de trabalho na indústria de transformação teria sido impulsionada pelo desempenho dos setores que trabalham com bens de consumo

Agência Estado

Levantamento divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Seade e pelo Dieese mostrou uma surpreendente alta na criação de postos de trabalho na indústria de transformação na Região Metropolitana de São Paulo entre setembro e outubro. O avanço de 3,2% no setor, equivalente a 54 mil postos de trabalho, ajudou a puxar para cima o índice geral, que subiu 0,2% no período, ou 20 mil postos de trabalho.

Veja também:  País cria 67 mil postos formais de trabalho em outubro

Segundo o economista e coordenador de análise da Fundação Seade, Alexandre Loloian, o ganho na indústria de transformação "pode ter ocorrido pelo desempenho de setores industriais que trabalham com bens de baixo valor e consumo corrente, como vestuário, confecção e bebidas". Ele descartou atribuir o avanço ao principal segmento do setor, o de metal-mecânica, que registrou alta de 0,6% em outubro.

No período, apenas a indústria de transformação apresentou alta no nível de ocupação. Registraram queda em outubro na comparação com setembro: construção (-1,3% ou 9 mil postos de trabalho), comércio e reparação de veículos (-0,3% ou 6 mil postos) e serviços (-0,2% ou 9 mil postos).

Veja também:  Geração de emprego formal no Brasil cai 47% em outubro

Já na comparação de outubro com o mesmo mês do ano passado, só o setor de serviços teve alta, de 6,2% ou 335 mil postos de trabalho. Apresentaram baixa a indústria de transformação (-1,4% ou 25 mil postos), construção (-1,8% ou 13 mil postos) e comércio e reparação de veículos (-2,5% ou 45 mil postos). No entanto, o índice geral avançou 2,5% no período, com a criação de 245 mil postos de trabalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.