Tamanho do texto

Carney, ex-banqueiro de investimentos do Goldman Sachs que ajudou com sucesso a levar a economia canadense pela crise global, irá suceder Mervyn King no próximo ano

A Grã-Bretanha nomeou nesta segunda-feira o chefe do Banco Central do Canadá, Mark Carney, como presidente do Banco da Inglaterra, banco central britânico, provocando uma grande surpresa com a nomeação de um estrangeiro para o cargo.

Carney, ex-banqueiro de investimentos do Goldman Sachs que ajudou com sucesso a levar a economia canadense pela crise global, irá suceder Mervyn King no próximo ano, informou o ministro das Finanças, George Osborne, ao Parlamento.

"Ele é simplesmente o melhor, mais experiente e a pessoa mais qualificada no mundo para ser o próximo presidente do Banco da Inglaterra", disse Osborne.

Veja também:  BC inglês está dividido sobre impacto de afrouxamento monetário

O vice-presidente do BC britânico, Paul Tucker, que passou toda a sua carreira no banco central, era o favorito para suceder King.

Osborne disse que Carney traz a habilidade para renovar a regulação financeira britânica em um momento em que o BC assumirá um novo papel com a supervisão bancária britânica. Carney havia anteriormente minizado com força as sugestões de que iria para o BC britânico.

"O senhor Carney é único entre os candidatos potenciais ao combinar longa experiência em banco central, enorme credibilidade internacional em economia, profundo conhecido em regulação financeira e experiência em instituições financeiras do setor privado", completou Osborne.

Carney não é britânico, embora Osborne tenha dito que ele pedirá a cidadania, e estudou na Universidade de Oxford.

Ele ficará no BC canadense até maio, e dar início a seu novo trabalho em julho. Carney terá um mandato de cinco anos, em vez dos oito que se esperava para o novo presidente.

"Supresa, grande surpresa", disse o economista do Commerzbank Peter Dixon. "Esse era o único que eu não via na disputa".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.