Tamanho do texto

Pequenas e médias empresas dão sinais de que os efeitos da crise ainda seguirão por, pelo menos, mais seis meses; elas respondem por 80% do emprego na zona do euro

Agência Estado

As pequenas e médias empresas (PMEs) da zona do euro esperam mais deterioração no acesso ao crédito bancário nos próximos seis meses, afirmou o Banco Central Europeu (BCE), em um sinal de que os principais criadores de emprego da região ainda estão enfrentando os efeitos da crise da dívida da zona do euro.

"Para o próximo período de seis meses, (as pequenas e médias empresas) esperam, no geral, um agravamento adicional do seu acesso aos empréstimos bancários", mostrou um relatório do BCE divulgado nesta sexta-feira.

Os resultados da pesquisa do BCE, que englobou 7.514 pequenas e médias empresas da zona do euro, mostrou que 15% dos entrevistados disseram que esperam menos acesso para os empréstimos bancários entre outubro e março, ante 7% no primeiro semestre de 2012, disse o BCE. O presidente da autoridade monetária, Mario Draghi, citou as pequenas e médias empresas como responsáveis por 80% do emprego da zona do euro.

As pequenas e médias empresas dependem muito dos bancos para se financiarem, mas os bancos estão enfrentando falta de liquidez em meio à crise da dívida soberana e do setor bancário. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.