Tamanho do texto

Em 2008, a Anglo comprou de Eike Batista a operação de minério

Reuters

Pelo menos quatro pretendentes, incluindo a trader Glencore, estão na disputa pela fatia majoritária da Anglo American na sua operação de minério de ferro no Amapá, no norte do Brasil, de acordo com fontes próximas ao assunto.

A Anglo comprou o controle da operação no Amapá em 2008 da MMX, do empresário Eike Batista, como parte da negociação pela Minas-Rio. Mas o ativo foi avaliado como não-essencial.

Outros ofertantes na atual segunda fase do processo de vendas incluem a siderúrgica russa Severstal, o grupo privado Zamin, fundado pelo investidor indiano Pramod Agarwal e que já tem ativos no Brasil, e a australiana Centaurus, que também já trabalha no país.

A Glencore tem ambição de crescer em minério de ferro, importante ingrediente do aço, em um mercado onde ela ainda não é personagem importante. Por outro lado, a trader de commodities tem sido seletiva nos ativos que busca.

Glencore, Severstal e Zamin não quiseram comentar. Não foi possível contactar a Centaurus imediatamente.

A Anglo American também recusou-se a comentar.

(Reportagem de Clara Ferreira-Marques e Silvia Antonioli)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.