Tamanho do texto

As bolsas europeias, com exceção de Milão, fecharam em leve alta nesta sexta-feira, beneficiadas pelos dados positivos de empregos nos Estados Unidos

Agência Estado

As bolsas europeias, com exceção de Milão, fecharam em leve alta nesta sexta-feira, beneficiadas pelos dados positivos de empregos nos Estados Unidos. A alta não foi mais forte porque já se esperava que o número de criação de emprego viesse bom. Além disso, os investidores agora adotam maior cautela diante da eleição presidencial nos EUA, na próxima terça-feira, e também com as reuniões de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) e Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira.

Uma vez eleito o novo presidente dos EUA, as atenções dos mercados devem se voltar também para o problema do chamado "abismo fiscal" americano, em referência aos cortes de gastos e alta de impostos que entram em vigor automaticamente a menos que democratas e republicanos cheguem a um acordo para o orçamento do país.

"Os números (do payroll) foram bons, mas poderia haver mais crescimento e ainda mais empregos se as empresas estivessem mais tranquilas com a perspectiva econômica e mais seguras de como o Congresso irá responder ao abismo fiscal", disse Mike Lenhoff, estrategista-chefe do Brewin Dolphin. Os EUA criaram 171 mil vagas em outubro, superando estimativa de aumento de 120 mil, enquanto a taxa de desemprego subiu de 7,8% para 7,9%.

Em Londres, a bolsa fechou em alta de 0,11%, resistindo à pressão contrária de algumas ações. Os papéis do Royal Bank of Scotland (RBS) caíram 2,1% também após divulgação do balanço trimestral.<p><p>A Bolsa de Frankfurt fechou em alta de 0,38%. A Bolsa de Paris fechou em alta de 0,50% nesta sexta-feira. Em Lisboa, a bolsa fechou com alta de 0,12%. A Bolsa de Madri fechou em alta de 1,05%. Na contramão, a Bolsa de Milão encerrou o pregão com perdas de 0,24%. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.