Tamanho do texto

Solicitações para auxílio-desemprego recuaram em 9 mil, para 363 mil, segundo dados ajustados sazonalmente, informou o Departamento do Trabalho americano

Reuters

Os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuaram na semana passada, um sinal de que a lenta recuperação do mercado de trabalho está ganhando força.

Os pedidos iniciais para auxílio-desemprego recuaram em 9 mil, para 363 mil, segundo dados ajustados sazonalmente, informou nesta quinta-feira o Departamento do Trabalho. A leitura ficou abaixo da estimativa em pesquisa da Reuters de 370 mil.

Um analista do departamento informou que e Nova Jersey e Washington, DC, não entregaram os dados devido à tempestade Sandy, que atingiu a região nordeste nesta semana. O Departamento do Trabalho estimou os resultados para o Estado e a capital do país.

Economistas disseram que a tempestade pode levar a volatilidade nos pedidos de auxílio-desemprego nas próximas semanas.

Não há sinais de que a tempestade tenha provocado qualquer impacto nos dados da semana passada, informou o analista do Departamento do Trabalho.

A média móvel de quatro semanas, que alivia as volatilidades, caiu em 1.500, para 367.250. Economistas em geral acreditam que uma leitura abaixo de 400 mil indica aumento do emprego.

A fragilidade do mercado de trabalho tem sido um dos principais assuntos da eleição presidencial nos EUA. O dado de desemprego que será divulgado na sexta-feira é o último antes de os norte-americanos irem às urnas na terça-feira da próxima semana.

As pesquisas indicam que a corrida pela Casa Branca entre o presidente Barack Obama, que busca reeleição, e o candidato republicano Mitt Romney, está bastante apertada.

A economia dos EUA dá sinais de que está um pouco mais robusta, com consumidores consumindo mais abertamente e a construção de imóveis se acelerando. Apesar disso, os dados de investimento recuaram no terceiro trimestre, sinal de que as empresas ainda não estão confiantes sobre a força da recuperação da atividade econômica.

A estimativa da semana anterior para pedidos de auxílio desemprego foi revisada para cima mostrando que houve 3 mil solicitações a mais do que divulgado inicialmente.

Os pedidos contínuos por benefícios cresceu 4 mil na semana encerrada em 20 de outubro para 3,263 milhões, segundo dados dessazonalizados divulgados pelo Departamento do Trabalho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.