Tamanho do texto

Indicador de atividade econômica medido pelo HSBC subiu para 49,5 em outubro, o maior nível em oito meses, em comparação com a leitura de 47,9 em setembro

Agência Estado

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da China, medido pelo HSBC, subiu para 49,5 em outubro - seu maior nível em oito meses - em comparação com a leitura final de 47,9 em setembro.

Embora a leitura permaneça em território de contração, a expansão é o mais recente sinal de recuperação na segunda maior economia mundial e deve aumentar ainda mais a confiança nas perspectivas econômicas para o resto do ano.

Uma leitura abaixo de 50 indica contração da atividade industrial do setor privado, enquanto qualquer número acima de 50 representa crescimento.

A leitura final de outubro foi superior à leitura preliminar de 49,1 anunciada em 24 de outubro. Os dados preliminares são baseados em 85% a 90% das respostas à pesquisa do HSBC.

"O PMI de outubro subiu para um recorde de oito meses. A atividade industrial da China é impulsionada principalmente pelo aumento de novas encomendas, graças à filtragem através das medidas de flexibilização anteriores, enquanto as perspectivas das exportações permanecem desafiadoras", disse Qu Hongbin, economista-chefe do HSBC para a China, em comunicado.

"Nós esperamos uma continuação da política de flexibilização para impulsionar ainda mais a demanda doméstica e contrabalançar a fraqueza externa, levando a uma recuperação gradual do crescimento nos próximos trimestres", completou o analista.

O PMI HSBC é baseado em dados compilados a partir de respostas a questionários mensais enviados a executivos de mais de 420 empresas de manufatura. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.