Tamanho do texto

De acordo com o coordenador, a taxa reflete a desaceleração da alta dos preços dos alimentos; cigarro, com alta de 20,3% no ano, também pressiona indicador

Agência Estado

O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) da Fundação Getulio Vargas, Paulo Picchetti, prevê uma taxa de inflação de 0,40% para novembro. Se confirmada essa previsão, o índice ficará 0,08 ponto porcentual abaixo do registrado em outubro (0,48%). De acordo com o coordenador, a taxa reflete a desaceleração da alta dos preços dos alimentos. "Mas a inflação continua num patamar elevado, considerando a meta de inflação de 4,5%", disse Picchetti.

LeiaInflação medida pelo IPC-S desacelera para 0,48% em outubro ante setembro

Com relação ao IPC-S fechado de outubro, o índice ficou praticamente dentro do projetado pelo economista no começo do mês passado (0,50%). "Um erro desses está dentro do esperado. Eu projetava queda de preços dos alimentos, o que acabou se concretizando, mas num ritmo muito lento", afirmou. Ele citou como exemplo o preço da carne bovina, que subiu menos. Ainda segundo Picchetti, a maior parte dos itens que compõem o IPC-S continua a apresentar alta.

MaisFGV revisa de 5,2% para 5,4% inflação em 2012

Ele destacou, além dos alimentos, o cigarro, que acumula alta de 20,3% no ano. Além disso, as refeições fora do domicílio acumulam alta de 50% em 12 meses e aumento de 4% em 2012. "Quando observamos a lista de produtos, vemos aumentos generalizados de preços", disse o coordenador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.