Tamanho do texto

Conselhou decidiu destinar maior volume de verbas à área de tecnologia; empréstimos com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos passam para R$ 6 bilhões

Agência Estado

O Conselho Monetário Nacional (CMN) alterou o limite de recursos do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), dentro do Programa Brasil Maior, para destinar maior volume de verbas à área de tecnologia. Serão mais R$ 3 bilhões, a serem remanejados de outras linhas do PSI. Os empréstimos com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) passam de R$ 3 bilhões para R$ 6 bilhões.

Para o subprograma "Inovação Tecnológica", o limite sobe de R$ 1,5 bilhão para R$ 2,5 bilhões. O prazo de pagamento continua até 120 meses, mas a carência do principal subiu de 36 meses para 48 meses. No subprograma "Capital Inovador", o limite passa de R$ 1,5 bilhão para R$ 3,5 bilhões. O prazo de pagamento subiu de 96 meses para 120 meses e a carência para o principal, de 24 meses para 48 meses.

MaisCMN divulga resolução sobre repasse do BNDES

Para cobrir esse aumento, o total dos financiamentos bancados pela União com dinheiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) cai de R$ 224 bilhões para R$ 221 bilhões. O limite para o subprograma "Ônibus e Caminhões" passa de R$ 61,8 bilhões para R$ 60,3 bilhões. Para o "Procaminhoneiro", cai de R$ 10,2 bilhões para R$ 9,2 bilhões. No subprograma "Transformadores", de R$ 8 bilhões para R$ 4 bilhões.

O subprograma "Bens de Capital - Demais itens", por outro lado, terá limite de R$ 77,6 bilhões, acima do fixado anteriormente (R$ 75,6 bilhões). No caso de bens de capital para micro, pequenas e médias empresas, o limite subiu de R$ 20,5 bilhões para R$ 22 bilhões. Os limites dos dois demais programas com recursos do BNDES foram mantidos. O prazo para contratação das operações continua sendo 31 de dezembro de 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.