Tamanho do texto

Objetivo é detectar problemas latentes, mas sem gerar custos adicionais às empresas

Avaliação do setor começa em novembro e vai até fevereiro de 2013, segundo Eletrobras
AE
Avaliação do setor começa em novembro e vai até fevereiro de 2013, segundo Eletrobras

A partir de 1º de novembro começa uma operação “pente-fino” em todas as instalações da rede básica de energia elétrica no país. A informação foi dada ontem pelo presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto. Segundo ele, a previsão é que passem por esta varredura oito subestações por semana, percorrendo todo o sistema, o que deverá ser concluído até meados de fevereiro de 2013.

De acordo com Carvalho Neto, o trabalho não vai gerar qualquer custo adicional às empresas e terá a participação das universidades. O principal objetivo é detectar problemas que “ainda podem estar latentes no sistema”, comentou.

“Na realidade os apagões recentes foram episódios isolados. A estrutura do sistema é sólida, é robusta e aconteceram três ou quatro casos em sequencia — o que não é normal. Mas não há problemas de sobrecarga ou falta de manutenção. Mas, após os incidentes, o ministério de Minas e Energia nos deu uma orientação no sentido de realizar uma operação pente fino, que não visa eliminar totalmente o problema, já que em nenhum sistema elétrico no mundo isso acontece. Mas servirá para que não ocorram na frequência que aconteceram nos últimos meses. Mas não há nenhum problema mais sério, de falta de manutenção, nada disso”, reforçou.

Os últimos apagões, segundo o presidente da Eletrobras, não foram causados por falta de investimento das empresas ou mesmo por atos de vandalismo e sabotagem. Sobre a entrada em operação das térmicas, ele disse que as operações foram realizadas justamente para que entrem em operação no período de seca.

“Estamos em um período de poucas chuvas e nessas horas temos que acionar as térmicas. E agora que construímos hidrelétricas com pouco reservatório, a operação das térmicas vai acontecer de forma mais frequente”, acrescentou.

Carvalho Neto, que participou de um evento sobre energia na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), disse que a empresa deverá fechar o ano de 2012 com investimentos de R$ 12 bilhões, R$ 1 bilhão a menos do que estava previsto para este ano. Mesmo assim, ele considerou o valor “bastante alto” e classificou como o “maior investimento da história da Eletrobras”.

Investimentos

Para 2013, os investimentos deverão ficar no mesmo patamar de 2012. Deste total, R$ 11 bilhões já estariam contratados para 2013. Mas por enquanto seriam apenas previsões, já que estes investimentos para o ano que vem poderão sofrer impactos resultantes da queda nas receitas por causa da renovação de concessões que estão ligada à holding da Eletrobras

Já sobre a venda de distribuidoras pouco rentáveis, chamadas de distribuidoras federalizadas, como parte do plano do governo de aumento da eficiência da Eletrobras , ele disse que ainda não há uma definição, o que deverá acontecer até o final do ano. Carvalho Neto afirmou que a orientação é torná-las mais eficientes possível. E disse que, observando as estatísticas mais recentes, o consumo de energia vem crescendo 14% e as perdas estão diminuindo muito nestas distribuidoras, que ficam nas regiões Norte e Nordeste do país.

“Vamos analisar a redução de custos que vamos ter que fazer ou aumentos de receita e, inclusive, propor algum aspecto de reestruturação organizacional que pode passar também por uma reorganização societária”, disse.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.