Tamanho do texto

Crise econômica provocou mudanças, mas não é o suficiente, acredita chanceler alemã

Reuters

Rigor:
Getty Images
Rigor: "planejamos regular todo centro financeiro, ator financeiro e produto do mercado financeiro"

A chanceler alemã, Angela Merkel, pediu neste sábado que as maiores economias do mundo implementem regras financeiras mais rígidas, dizendo que o estágio atingido até este momento não é o suficiente.

A crise financeira global fez as maiores economias mundiais promoverem mudanças em quase todas as minúcias das regras do sistema financeiro, da venda direta de derivativos até as exigências para a capitalização de bancos.

Mas, durante o seu podcast semanal, Merkel disse que é preciso avançar mais.

"Planejamos regular todo centro financeiro, todo ator financeiro e todo produto do mercado financeiro. Progressos significativos foram feitos, mas as regras ainda não foram implementadas em todos os lugares, e ainda estamos esquecendo de outras áreas."

A chanceler lembrou de "bancos na sombra", ou instituições financeiras que são menos reguladas do que os bancos, como uma área que precisa de maiores progressos.

"Por exemplo, tomara que a regulação dos bancos na sombra seja concluída no próximo encontro do G20", afirmou Merkel.

Líderes das maiores economias do mundo (G20) recomendaram há um ano novas regras, que também incluem fundos de hedge, meios de investimento especial e acordos de recompra.

Os reguladores têm a preocupação de que, com os bancos mais regulamentados, atividades de crédito com risco mudarão para os bancos na sombra.

(Reportagem de Annika Breidthardt)