Tamanho do texto

Com a compra, a instituição tira o dinheiro temporariamente do mercado. O prazo de recompra dos títulos é de três meses, com taxa de juros integral de 7,19%

Agência Estado

O Banco Central voltou a realizar nesta segunda-feira a operação compromissada semanal com prazo de recompra de três meses. Na oferta desta segunda-feira, o BC ofertou até R$ 3 bilhões em títulos públicos, mas efetivamente colocou R$ 2,7 bilhões, à taxa de 7,19%, integral. Esses títulos estavam na carteira do Banco Central. A data da liquidação da venda será amanhã e a liquidação da revenda será em 22 de janeiro de 2013.

Leia também:  Novo regulamento do Selic incentiva transações longas

Esta é a segunda semana em que o Banco Central realiza operação compromissada para o prazo de três meses. A retomada das operações para esse prazo foi anunciada no dia 5 de outubro. Na segunda-feira da semana passada, o BC já tinha realizado operação compromissada para três meses. Na ocasião, o volume oferecido foi de R$ 3 bilhões, mas, efetivamente, o BC colocou R$ 1,4 bilhão em títulos.

Na operação compromissada, o BC pode vender ou comprar títulos para calibrar a liquidez do sistema monetário. Em situações em que tem o objetivo de drenar a liquidez excedente no sistema monetário, o BC vende títulos para recomprá-los em data futura. Para ampliar a liquidez, a operação é diferente, com o BC comprando títulos e colocando dinheiro no sistema financeiro.

Além da compromissada para três meses, o Banco Central também atuou hoje para calibrar a liquidez por meio de uma operação no overnight, na qual absorveu R$ 60.682.800, à taxa de 7,14%, integral.

A nova operação representa uma opção intermediária para os agentes de mercado que participam dos leilões junto ao Banco Central, já que o prazo de três meses se encaixa entre as operações no overnight, realizadas habitualmente no início do dia, e as compromissadas para seis meses, executadas normalmente às sextas-feiras.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.