Tamanho do texto

Entidade vê ajuste do orçamento doméstico para aproveitar acesso a recursos menos caros e as desonerações para ir às compras de Natal

Agência Estado

O mês de setembro mostrou mudanças no perfil do endividamento do consumidor, revela a pesquisa Perfil Econômico do Consumidor, realizada pela FecomércioRJ com mil consumidores em 70 cidades. "Antes, ora os indicadores de inadimplência avançavam ora caiam. Agora, há um dado mais consistente, condizente com o resultado de outras pesquisas", argumentou o economista da Fecomércio-RJ, Christian Travassos, que apontou a desaceleração da concessão de crédito, evidenciada em dados do Banco Central, como outra demonstração de que as famílias estão ajustando os seus orçamentos.

"O consumidor freou a exposição ao financiamento. É o que a pesquisa demonstra", disse Travassos. O porcentual de brasileiros que afirmaram estar pagando algum parcelamento de dívida passou de 43,8% em setembro de 2011 para 37,5% no mês passado. E o número dos que informaram ter prestações em atraso caiu de 13,2% para 12,1%, no mesmo período.

O crescimento da formalização do trabalho permitiu ao consumidor aproveitar os benefícios da restituição do Imposto de Renda e do 13º salário para pagar dívidas. A queda dos juros também acabou deslocando as dívidas do cartão de crédito para os empréstimos bancários.

O porcentual de brasileiros que afirmaram ter parcelas de cartão pendentes passou de 34,7% para 28,8%, na comparação dos meses de setembro de 2011 e 2012. Já o número de empréstimo bancário saltou de 6,4% para 10,1%. Os carnês continuam liderando como instrumento de parcelamento de dívida. Do total de entrevistados, 57,4% afirmaram ter carnês a pagar.

Com a organização do orçamento familiar, os consumidores tendem a comprar mais nas festas de fim de ano, destacou Travassos. A pesquisa demonstrou que 15,9% dos entrevistados pretendem adquirir bens duráveis nos próximos três meses, ante 15,1% em setembro de 2011. A maior parte, 20,1%, planeja comprar televisão e 15,2% informaram a intenção de comprar carro. Em setembro do ano passado, o porcentual era de 7,7%.

"O brasileiro aproveitou as isenções tributárias pontuais, ao longo de 2012. Neste fim de ano, com as contas organizadas, vai aproveitar o acesso a recursos menos caros e as desonerações para ir às compras de Natal", prevê o economista da Fecomércio-RJ.