Tamanho do texto

Dado confirma que o Federal Reserve possui tempo e espaço para dar continuidade a sua política de estímulo monetário lançada no final de 2007

EFE

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos Estados Unidos subiu 0,6% no último mês de setembro, o que representa um aumento de 2% em um ano, informou nesta terça-feira o Departamento de Trabalho.

Tirando os preços dos alimentos e da energia, que são os mais voláteis, o núcleo da inflação em setembro foi de 0,1%, assim como nos últimos dois meses.

O dado confirma que o Federal Reserve possui tempo e espaço para dar continuidade a sua política de estímulo monetário lançada no final de 2007, a qual manteve a taxa básica de juros abaixo dos 0,25% desde dezembro de 2008. Já a medida de inflação que mais atende a Reserva, o chamado índice de preços em despesas de consumo, foi de 1,5% nos últimos 12 meses.

Levando em conta a inflação moderada e o fato de que o índice de desemprego ficou abaixo dos 8% pela primeira vez em 42 meses, o Federal Reserve iniciou outro conjunto de estímulos, incluindo a compra, a cada mês, de títulos hipotecários no valor de US$ 40 bilhões.

O relatório de hoje mostrou que os salários reais caíram 0,2% nos últimos 12 meses, até setembro, como resultado de uma inflação mais rápida do que os aumentos dos salários dos trabalhadores.

A maioria dos analistas tinha calculado um aumento de 0,5% no IPC e um núcleo da inflação em torno de 0,1%. O relatório de hoje mostra um aumento de 4,5% nos custos de energia entre agosto e setembro, enquanto os preços dos alimentos subiram 0,1%.