Tamanho do texto

Alvin Roth e Lloyd Shapley são laureados por "teorias de alocações estáveis e do modelo de mercado", que mostram como unir diferentes agentes econômicos

Momento do anúncio:
Reuters
Momento do anúncio: "meus alunos vão prestar mais atenção nas aulas", brincou Roth

Uma dupla de norte-americanos levou o prêmio Nobel de Economia em 2012. Alvin E. Roth, da Universidade de Harvard (em Boston) e Lloyd S. Shapley, da Universidade da Califórnia (em Los Angeles) foram laureados por trabalhos nas teorias de "alocações estáveis e modelo de mercado". O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira, em Estocolmo, na Suécia.

- Leia também: vencedor escreveu teoria sobre "arremesso de anões"

As pesquisas dos premiados mostram como unir diferentes agentes econômicos, como estudantes e escolas, ou doadores de órgãos e pacientes. O prêmio, entregue pela Real Academia Sueca de Ciências, inclui a quantia de 8 milhões de coroas suecas, equivalentes a US$ 1,2 milhão (ou R$ 2,45 milhões). Shapley e Roth realizaram suas pesquisas de forma independente, mas suas contribuições à Economia são complementares, acrescentou a Academia Sueca das Ciências.

- Imagens: veja a galeria de fotos dos vencedores do Nobel de Economia

"O prêmio deste ano se outorga a um exemplo sobressalente de engenharia econômica", ressaltou a Academia Sueca em sua justificativa. A argumentação explica que os estudos elaborados por Roth e Shapley abordam um "problema econômico central", a otimização das dotações entre oferta e procura, e que o prêmio "reverencia dois professores que responderam esta questão em uma viagem desde a teoria abstrata das dotações estáveis" até "o desenho prático das instituições mercantis". 

- Mais: em 2011, dois norte-americanos também haviam levado Nobel de Economia

"O campo do modelo de mercado é novo na Economia e o prêmio ajuda a jogar luz sobre essa área", declarou Roth, por telefone, da Califórnia, aos organizadores do Nobel. O pesquisador já foi retratado pela imprensa americana como "um economista que parou de estudar o mundo e passou a tentar consertá-lo", segundo jornais de Boston. "Tenho certeza de que meus alunos prestarão mais atenção nas aulas agora", brincou o acadêmico, que afirmou ter ficado surpreso com a escolha.

O Nobel que "não é" Nobel
O Prêmio Nobel de Economia foi criado em 1968, 72 anos depois da criação do Prêmio Nobel. Chamada oficialmente de Prêmio Sveriges Riksbank de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel, a premiação ainda gera controvérsias entre os mais tradicionalistas.

O prêmio de economia foi criado pelo Banco Central da Suécia e concedido pela primeira vez em 1969. Por conta da referência a Alfred Nobel, criador do Prêmio Nobel, a premiação econômica acabou associada à série de prêmios como Nobel da Paz, Nobel de Medicina, Nobel de Física, Nobel de Química e Nobel de Literatura.

Entretanto, diferentemente das demais categorias, o Nobel de Economia não é pago com recursos da Fundação Nobel. É o próprio Banco Central da Suécia que faz o pagamento do prêmio. A família Nobel não reconhece o prêmio e, desde 1968, proíbe que sejam criados outros prêmios em memória do químico e industrial sueco Alfred Nobel.

- Mais: vencedores quase sempre fazem parte da "panela do Nobel"

Apesar da divergência, os critérios de seleção, indicação e premiação dos candidatos do Nobel de Economia são os mesmos das demais premiações.

O prêmio de Economia encerra esta edição dos prêmios Nobel, que teve início na segunda-feira passada com a premiação do britânico John B. Gurdon e do japonês Shinya Yamanaka com o de Medicina , e continuou na terça-feira com o Nobel de Física para o francês Serge Haroche e o americano David J. Wineland . Na última quarta-feira foi anunciado o de Química aos americanos Robert J. Lefkowitz e Brian K. Kobilka , na quinta-feira o de Literatura ao chinês Mo Yan e, na sexta-feira, foi revelado que o Nobel da Paz foi dado à União Europeia .

De acordo com a tradição, a entrega destes prêmios será realizada em duas cerimônias paralelas, em Oslo para o da Paz e em Estocolmo aos restantes, no dia 10 de dezembro, coincidindo com o aniversário da morte de Alfred Nobel.

Fatos e curiosidades

- 71 pessoas foram premiadas com o Nobel de Economia desde 1969 até 2012

- A idade média dos laureados em Economia é de 62 anos. Em 2007, Leonid Hurwicz se tornou o mais velho vencedor do prêmio, não apenas em Economia, mas em todas as áreas do Nobel. O mais jovem é Kenneth J. Arrow, premiado em 1972, aos 51 anos.

- Em 2001, o Nobel de Economia ganhou as telas dos cinemas, com o filme “Uma Mente Brilhante”, que conta a história do matemático norte-americano John Nash, interpretado por Russell Crowe. Vencedor do Nobel de Economia de 1994, com sua teoria dos jogos, Nash sofria de esquizofrenia. O filme foi ganhador de quatro Oscars em 2002.

- Elinor Ostrom, premiada em 2009, é a única mulher a ter recebido o Nobel de Economia.


* Com Reuters e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.