Tamanho do texto

Segundo Yi Gang, governo chinês não está promovendo uso da moeda fora da China, apesar de ter eliminado algumas barreiras

Agência Estado

O vice-presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Yi Gang, disse neste domingo que o crescimento do uso global do yuan é um fenômeno natural de mercado e que o banco central não está promovendo isso deliberadamente. "Eu acredito que a visão do banco central, certamente minha visão, é que a internacionalização do yuan é inteiramente um fenômeno conduzido pelo mercado. Eu não o promovo", disse.

"No passado, a China havia restringido o uso do yuan. Então, o que o banco central fez foi apenas remover algumas barreiras para o uso do yuan. Se nossos parceiros comerciais ou de investimento gostam de usar o yuan, por quê não?", disse ele, durante a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Tóquio.

Ao ser questionado sobre possíveis riscos derivados de investimentos pesados das reservas cambiais chinesas em moedas de países ocidentais, Yi disse que a política do banco central é diversificar o que detém como reserva e que isso iria continuar. Ele acrescentou que a China "já têm reservas suficientes" e que, "em termos de reservas, não é quanto mais melhor". As informações são da Dow Jones.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.