Tamanho do texto

Tesouro Nacional autorizou um aporte de R$ 45 bilhões para funding do banco de fomento em abril. Desse valor, R$ 10 bilhões foram repassados em junho

Agência Estado

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho
Elza Fiúza/ABr
O presidente do BNDES, Luciano Coutinho

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) precisará de mais uma parcela do aporte em empréstimos do Tesouro Nacional neste ano, afirmou nesta segunda-feira o presidente da instituição, Luciano Coutinho. O Tesouro Nacional autorizou um aporte de R$ 45 bilhões para funding do banco de fomento em abril. Desse valor, R$ 10 bilhões foram repassados em junho.

"Precisamos de algum complemento para fechar o ano, mas ainda estamos vendo a necessidade", afirmou, após participar de cerimônia em memória dos 20 anos da morte do deputado Ulysses Guimarães, cerimônia promovida pelo jornal "O Globo", no Rio. "Não há nenhuma urgência urgentíssima", completou.

Coutinho não fixou prazo mais preciso para uma nova parcela ser liberada, nem informou quanto seria necessário ainda neste ano. Semana passada, a Agência Estado apurou que as negociações entre o BNDES e o Tesouro poderiam terminar nesta semana e que o mais provável é a nova parcela ser de R$ 20 bilhões.

De acordo com Coutinho, a perspectiva de liberar cerca de R$ 150 bilhões em empréstimos está mantida e segue em curso a recuperação da demanda por financiamento do BNDES. "Ela está firme, mas pode aumentar um pouco mais, ir além um pouco mais do que a gente esperava", afirmou, completando que o efeito da redução de juros no Programa de Sustentação dos Investimentos (PSI) já é sentido.