Tamanho do texto

Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional exaltou a gestão dos preços e das reservas de petróleo dos membros do Conselho de Cooperação do Golfo

Agência Estado

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse neste sábado que as economias dos países ricos em petróleo do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC, na sigla em inglês) continuarão desfrutando de altas taxas de crescimento.

Ela também exaltou a gestão dos preços e das reservas de petróleo dos membros do GCC, bem como sua contribuição financeira para a transição de governo dos países árabes depois das revoltas populares que sacudiram a economia local.

"Gostaria de destacar o papel importante e positivo que os países do GCC desempenham na região do Oriente Médio e do norte da África, e no mundo em geral", disse Lagarde, após uma reunião com os membros do conselho, que é formado por Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Qatar, Bahrein e Omã.

"A generosa ajuda financeira que o GCC fornece a alguns países árabes que passam por uma transição está ajudando-os em um período muito difícil", observa ela. "E, mundialmente, a política de petróleo do conselho ajudou a estabilizar os mercados e conter as pressões de preço que poderiam ter implicado em graves prejuízos para a economia global."

Ela acrescentou que, enquanto outras economias árabes são desafiadoras, os países do GCC desfrutam de um crescimento que atingiu o maior nível em oito anos em 2011, de 7,5%. "No entanto, dada a incerta perspectiva mundial, uma contínua ênfase no fortalecimento da capacidade de resiliência, incluindo os setores fiscal e financeiro, será importante ao lado de um foco maior nos fundamentos para crescimento de longo prazo", disse.

A Arábia Saudita é um dos maiores doadores da região. Riad prometeu um adicional de US$ 15 bilhões no começo deste ano ao FMI, depois de um pedido por mais recursos, disse uma autoridade do fundo na condição de anonimato. As informações são da Dow Jones.