Tamanho do texto

Provisões dos bancos cobrem "com folga" as operações vencidas, pois cada banco possui R$ 1,6 para cada R$ 1,00 emprestado, segundo diretor da autoridade monetária

Apesar da alta vista nos primeiros seis meses do ano, dados recentes já mostram queda da inadimplência no segundo semestre, segundo o diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero Meirelles. Ele salientou que as provisões dos bancos cobrem "com folga" as operações vencidas, já que o índice estava em 1,6 em junho. Isso quer dizer que, para cada R$ 1,00 emprestado, o banco possui R$ 1,6 de provisão.

A alta do calote, salientou o diretor, contribuiu para que o lucro dos bancos fosse menor nos primeiros seis meses de 2012. "Houve queda de rentabilidade, mas o setor continuou rentável em patamares adequados", avaliou. "Houve maior despesa de provisão por conta de inadimplência, mas são números bastante robustos e adequados para o sistema", reforçou.

Anthero comentou que o BC continuou implementando uma série de mudanças, como a análise de dados sobre os devedores com dívidas acima de R$ 1 mil - antes o patamar era de R$ 5 mil. "Isso trouxe um volume maior para análise de crédito pelo BC", considerou.