Tamanho do texto

Milhares de portugueses tomaram as ruas de Lisboa neste sábado em protesto contra as políticas econômicas do governo

Agência Estado

Milhares de portugueses tomaram as ruas de Lisboa neste sábado em protesto contra as políticas econômicas do governo que devem ficar ainda mais duras para atender às exigências dos credores. Os manifestantes convergiram de várias direções para a Praça do Comércio, na zona central da cidade e reclamavam "do roubo dos salários e aposentadorias".

O ministro das Finanças, Vitor Gaspar, sinalizou que o governo anunciará novas medidas, que incluem cortes de gastos e aumento de impostos para que sejam atingidas as metas que são cruciais para que Portugal receba a ajuda de 78 bilhões de euros (US$ 101,5 bilhões) de credores internacionais.

Ao som de apitos e tambores, os manifestantes gritavam "fora com a austeridade", enquanto sacudiam bandeiras de sindicatos dos trabalhadores locais, professores e mesmo da polícia.

"Nosso futuro está sendo hipotecado pelas demandas da troica", disse o funcionário público Francisco Lopes, de 56 anos, em referência ao resgate oferecido pela União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional. "O povo português está farto disso", completou. As novas medidas de austeridade deverão ser aprovadas pela troica.

Os cortes de gastos e reformas econômicas causaram uma recessão no país, com a economia encolhendo 1,2% no segundo trimestre, num ritmo mais rápido do que a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,1% no primeiro trimestre. A contração da economia deve atingir 3% em 2012. As informações são da Dow Jones.