Tamanho do texto

Balança acumula superávit de US$ 15,298 bilhões contra US$ 22,519 bilhões no mesmo período do ano passado. Tanto exportações como importações também diminuem

Agência Estado

Movimentação de carga no porto de Itajaí (SC)
Divulgação
Movimentação de carga no porto de Itajaí (SC)

A balança comercial brasileira acumula superávit de US$ 15,298 bilhões no ano, até o dia 23 de setembro, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O saldo é 32,06% menor que o verificado em igual período de 2011, quando a balança acumulava superávit de US$ 22,519 bilhões.

No ano, as exportações somam US$ 175,620 bilhões, com média diária de US$ 954,5 milhões, o que representa uma queda de 4,8% na comparação com a média exportada em igual período do ano passado (US$ 1,002 bilhão). Já as importações somam US$ 160,322 bilhões, com média diária de US$ 871,3 milhões, queda de 0,6% na comparação a média importada em igual período de 2011 (US$ 876,9 milhões).

No mês

Em setembro, a balança comercial acumula superávit de US$ 2,128 bilhões, com exportações de US$ 15,022 bilhões e importações de US$ 12,894 bilhões. A média exportada em setembro, até a terceira semana do mês, é de US$ 1,073 bilhão, o que representa uma retração de 3,2% ante a média exportada em setembro de 2011 (US$ 1,109 bilhão). Essa queda, segundo dados do MDIC, é motivada pela diminuição nas exportações de semimanufaturados (-13,8%), em razão de óleo de soja em bruto, ouro em forma semimanufaturada, semimanufaturados de ferro/aço, açúcar em bruto, ferro-ligas, ferro fundido e celulose. As exportações de básicos também caíram, 4,1%, devido a café em grão, soja em grão e minério de ferro. Por outro lado, cresceram as vendas de manufaturados (+2,7%), com destaque para óleos combustíveis, etanol, tubos flexíveis de ferro/aço, motores e geradores e laminados planos de ferro/aço.

Na comparação com agosto deste ano, quando a média exportada foi de US$ 973,1 milhões, houve uma alta de 10,3% na média exportada no acumulado de setembro. Segundo o MDIC, esse aumento foi decorrente da expansão das vendas externas em todas as categorias de produtos: manufaturados (+10,4%), básicos (+10,5%) e semimanufaturados (+8,3%).

Com relação às importações, a média diária no acumulado de setembro alcançou US$ 921 milhões, valor 4,3% menor que o registrado em setembro de 2011 (US$ 962,5 milhões) e 10,6% maior que o verificado em agosto deste ano(US$ 832,8 milhões).

Na comparação com setembro do ano passado, diminuíram os gastos com combustíveis e lubrificantes (-37,1%), cereais e produtos e moagem (-15,5%), borracha e obras (-13,5%), adubos e fertilizantes (-7%) e aparelhos eletroeletrônicos (-3,4%). Na comparação com agosto deste ano, houve aumento principalmente das vendas de combustíveis e lubrificantes (+40%), instrumentos de ótica e precisão (+35,8%), farmacêuticos (+14,5%), equipamentos mecânicos (+13,8%) e plásticos e obras (+9,6%).