Tamanho do texto

Pela primeira vez, após sete reduções seguidas, os analistas consultados deixaram inalterada a projeção para o crescimento do PIB em 2012 a 1,57%

Reuters

O mercado financeiro elevou a projeção para a Selic neste ano para 7,50%, ante 7,25% anteriormente, ao mesmo tempo em que ampliou a perspectiva para a inflação a 5,35% ante 5,26%, mostrou a pesquisa Focus, do Banco Central, divulgada nesta segunda-feira. Para o fim de 2013, a expectativa foi mantida em 8,25%.

E, pela primeira vez após sete reduções seguidas, os analistas consultados deixaram inalterada a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 a 1,57%.

O BC aumentou as dúvidas no mercado sobre uma redução adicional do juro na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) ao diminuir as alíquotas do recolhimento compulsório dos bancos, injetando na economia em torno de R$30 bilhões para impulsionar a oferta de crédito.

Depois dessa decisão, o mercado de juros futuros passou a mostrar uma maioria das apostas em manutenção da Selic, com a minoria ainda indicando um novo corte de 0,25 ponto percentual na reunião de outubro do Copom.

"O BC adotou as medidas para dar fôlego aos bancos pequenos e médios, mas também têm efeito sobre a demanda. Então isso limitaria o espaço para a política monetária", afirmou o estrategista-chefe do WestLB, Luciano Rostagno.

Inflação

O mercado elevou seus números para a inflação neste ano pela 11ª vez seguida, para 5,35%, ante 5,26% anteriormente, ainda mais afastada do centro da meta do governo, de 4,5% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Dados divulgados na semana passada mostraram que os alimentos continuam pressionando os preços ao consumidor, com destaque para o IPCA-15, que acelerou a alta em setembro para 0,48%.

"O IPCA-15 apresentou aceleração motivado pelo repasse dos preços do atacado para o varejo depois da recente valorização dos preços das commodities agrícolas... Mas esse aumento de preços não gera pressão para a economia porque é transitório", afirmou o economista Felipe Queiroz, da Austin Rating.

Para 2013, a estimativa para o IPCA foi mantida em 5,50%.

Crescimento

Pela primeira vez após sete reduções seguidas, os analistas consultados na pesquisa Focus deixaram inalterada a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 a 1,57%. Para 2013, a expectativa foi mantida em 4%.

Ainda assim, a projeção para este ano permanece abaixo da expectativa do governo. Na quinta-feira, o Relatório de Despesas e Receitas, que serve de parâmetro para a execução orçamentária, reduziu a previsão de crescimento do PIB neste ano para 2%, ante 3% anteriormente.

A pesquisa Focus desta segunda-feira mostrou também que o mercado manteve a previsão de que o dólar encerrará este ano a R$2.