Tamanho do texto

Acesso à rede cresceu 14,7% em dois anos; região Centro-Oeste registrou maior crescimento proporcional

O Brasil já tem 77,7 milhões de pessoas conectadas à Internet. Entre 2009 e 2011, o número de usuários de internet cresceu 14,7%, o que representa um acréscimo de 9,9 milhões de pessoas. Os números fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2011 (Pnad, divulgada nesta sexta-feira (21) pelo IBGE.

A estudante Thamyris Fernandes passa,em média, três horas por dia conectada à internet
Arquivo pessoal
A estudante Thamyris Fernandes passa,em média, três horas por dia conectada à internet

Em três regiões do País, o número de usuários já ultrapassou a metade da população. No Sudeste, 54,2% da população acessam a internet. No Centro-Oeste, esse número chega a 53% e, no Sul, a 50,1% dos habitantes.

Leia também:  Expansão da renda média impulsiona queda da desigualdade social no Brasil

O Centro-Oeste foi ainda o destaque positivo da pesquisa, com maior crescimento proporcional, de 17,2%, ou 1 milhão de pessoas. Já no Norte e no Nordeste, apenas pouco mais de um terço da população tem acesso à internet (35,4% no Norte e 34% no Nordeste). A despeito do crescimento expressivo, apenas 46,5% da população brasileira acessam a internet.

Leia também:

Desigualdade social cai ainda mais no Brasil

Quase 70% dos brasileiros têm celular e crianças são grupo que mais cresce

Desocupados crescem, sobretudo entre negros, mulheres e jovens

Com Bolsa Família, País reduziu trabalho infantil

Entre 2009 e 2011, todos os grupos etários registraram aumento na proporção de usuários da internet, mas foram os adultos entre 30 e 39 anos que registraram maior avanço, de 9,3 pontos percentuais, seguido daqueles de 25 a 29 anos (6,7 pontos percentuais) e dos de 40 a 49 anos (6,4 pontos percentuais).

As menores variações ocorreram nos grupos de 15 a 17 anos (3,1 pontos percentuais) e 18 ou 19 anos (3,2 pontos percentuais). Esses dos grupos já apresentavam, em 2009, a maior proporção de pessoas que acessavam a internet e mantiveram-se assim em 2011. Entre as pessoas de 15 a 17 anos, 74,1% da população utilizam a internet. Já no grupo de 18 ou 19 anos, 71,8% usam a web.

Veja também:  Negros representam quase 80% da nova classe média, mostra estudo

A estudante Thamyres Fernandes, 15 anos, retrata bem o grupo que mais utiliza a internet no País. Thamyres passa pelo menos três horas do dia conectada à web e conta que esse tempo só não é maior por imposição da mãe. Além das pesquisas escolares e das conversas com amigos em redes sociais, Thamyres também utiliza a internet para buscar livros e artigos. “Leio bastante pela internet. O último livro que li foi Senhora, de José de Alencar”, afirma.

Com exceção dos grupos etários acima de 40 anos de idade, todos os demais apresentaram percentuais de usuários acima de 50%. O resultado mostrou ainda, que, apesar do avanço, entre as pessoas de 50 anos ou mais de idade apenas 18,4% utilizaram a internet no período pesquisado.

Leia também:  Quase 100% dos usuários brasileiros compram e vendem pela internet

A técnica em enfermagem Carmen Elias, de 59 anos, faz parte do grupo de pessoas com mais de 50 anos que utilizam a internet. Ela conta tinha grande resistência à ideia de aprender a utilizar o computador e a navegar pela web até começar a cursar a faculdade de Administração Hospitalar há alguns anos.

“Na faculdade, havia uma disciplina de informática. A partir daí, comecei a me interessar e a aprender sozinha tudo que era preciso para usar um computador e acessar a internet”, diz. Hoje, Carmen utiliza a web não apenas para trabalhar, mas também para acessar redes sociais.

Veja também:

Mulheres já são mais de 100 milhões no Brasil, revela Pnad

Domicílios com só um morador crescem, e média é de 3,2 pessoas por casa no País

Serviços como esgoto, coleta de lixo e iluminação evoluem pouco e são desafio

Casa própria já não é só sonho: 75% no Brasil são donos do imóvel onde vivem

Pnad: com maior concentração de jovens, Norte tem a população que mais cresce

População preta cresce e brancos e pardos encolhem, revela Pnad