Tamanho do texto

Segundo dados divulgados pelo Banco Central, em julho, 22,38% dos ganhos mensais eram destinados a essas despesas

Agência Estado

O comprometimento de renda das famílias brasileiras com o pagamento de dívidas bateu novo recorde em junho. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (20) pelo Banco Central, naquele mês, 22,38% dos ganhos mensais dos brasileiros eram destinados a essas despesas. O recorde anterior era de outubro de 2011, quando o porcentual estava em 22,35%. Em maio deste ano, o comprometimento era de 21,93% da renda.

Segundo o BC, 8,01% dos ganhos foram usados para pagamento de juros em junho, abaixo do recorde de 8,13% verificado em outubro de 2011. Outros 14,37% foram para amortização do principal das dívidas, porcentual recorde. Os dados mostram ainda que a dívida total das famílias brasileiras correspondia, em junho, a 43,94% da sua renda acumulada nos últimos 12 meses, outro recorde, superando os 43,42% de maio.

O comprometimento da renda é apurado com base na relação entre os valores mensais a serem pagos no serviço das dívidas com o sistema financeiro e a renda das famílias líquida de impostos, expressa na Massa Salarial Ampliada Disponível (MSAD). O endividamento total considera a massa ampliada em 12 meses.

O dado do BC foi divulgado com defasagem maior que a habitual por conta dos problemas na divulgação dos números do IBGE, responsável pela apuração da MSAD, parte da Pesquisa Mensal do Emprego (PME) e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).