Tamanho do texto

Plano recentemente publicado no site do banco central, afirma que a China deve melhorar suas operações no mercado aberto para que possa guiar as taxas do mercado financeiro

Reuters

A China irá cada vez mais conduzir a política monetária usando ferramentas baseadas em preços como taxas de juros e de câmbio em vez de mecanismos quantitativos, de acordo com um plano de reformas financeiras esperado entre 2011 até 2015 publicado nesta segunda-feira.

O plano de 47 páginas, recentemente aprovado pelo Gabinete e publicado no site do banco central, afirma que a China deve melhorar suas operações no mercado aberto para que possa guiar as taxas do mercado financeiro da China.

O plano de política confirma a suspeita de muitos participantes do mercado financeiro de que Pequim silenciosamente mudou o foco da política monetária para operações no mercado financeiro e se afastou de usar a taxa de compulsório dos bancos para controlar o fluxo de liquidez no sistema financeiro.

O banco central da China tem aumentado o uso de operações compromissadas e outras ferramentas do mercado financeiro de curto prazo para manter a liquidez nos mercados, ao passo que se opõe a ajustar a quantidade de dinheiro que os bancos devem guardar como reservas, com Pequim temendo que isso pode voltar a alimentar a inflação se muito capital for liberado.