Tamanho do texto

Nos sete meses até julho, as vendas na capital paulista acumularam queda de 5,1%, a 13.670 unidades

Reuters

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo recuaram 8,5% em julho sobre o mês anterior, somando 1.689 unidades, informou nesta sexta-feira o sindicato da habitação, Secovi-SP, que não divulgou o dado comparativo com julho de 2011.

Nos sete meses até julho, as vendas na capital paulista acumularam queda de 5,1%, a 13.670 unidades, refletindo o desaquecimento da economia doméstica como um todo, que sofreu efeitos da crise internacional, segundo a entidade.

O Secovi estima fechar o ano com alta de 10% nas vendas.

Em termos de valores, de janeiro a julho, as vendas atingiram R$6,9 bilhões, abaixo dos R$7,6 bilhões no mesmo período de 2011.

A velocidade de vendas - medida pela relação de venda sobre oferta - ficou em 61,2% nos 12 meses até julho.

Já os lançamentos totalizaram 1.737 unidades em julho, mas o Secovi não informou os dados comparativos.

No acumulado do ano, entretanto, foram lançados 10.599 imóveis na cidade de São Paulo, 37,1% menos em relação a um ano antes. "Este resultado mostra que a demanda está escoando a oferta desde o final do ano", afirmou o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci.

"Mesmo com a queda nos lançamentos... o desaquecimento das vendas é quase imperceptível, o que demonstra que o mercado ainda está aderente aos produtos lançados, tanto nos preços como na tipologia", acrescentou.

A previsão da entidade é de que os lançamentos em 2012 sejam 21% inferiores ao resultado do ano passado.