Tamanho do texto

Segundo o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos, Lourival Kiçula, setor já contratou 4 mil funcionários desde que a primeira redução do IPI foi anunciada

Agência Estado

A desoneração da folha de pagamentos para os fabricantes de fogões, refrigeradores e lavadoras, anunciada nesta quinta-feira pelo governo federal, vai permitir que o setor mantenha o emprego dos 36 mil funcionários. A avaliação é do presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Lourival Kiçula. "Estamos muito felizes. A linha branca foi outra vez beneficiada e isso vai fazer com que a gente continue em janeiro com possibilidade de manter a mão de obra que temos", afirmou.

O setor já havia sido beneficiado pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), prorrogada até 31 de dezembro. De acordo com o presidente da Eletros, o setor já contratou 4 mil funcionários desde que a primeira redução do IPI foi anunciada. "Até 31 de dezembro, temos redução do IPI.

O benefício da folha começa em 1º de janeiro. No momento estamos empregando, estamos com a casa cheia", disse. Segundo ele, os efeitos da desoneração da folha devem ter impacto nos resultados do primeiro trimestre de 2013.

Kiçula avalia ainda que a desoneração para os fabricantes de parafusos e porcas pode beneficiar a produção de fogões, refrigeradores e lavadoras indiretamente.

Os itens são insumos para a indústria de eletroeletrônicos e, se custarem menos, devem ajudar que o produto final também chegue mais barato ao consumidor. "É o que eu espero. E pode ter certeza que o governo, quando toma essas medidas, também espera", disse. "É uma cadeia produtiva muito interessante."