Tamanho do texto

Os preços de importados avançaram 0,7% no mês passado, informou o Departamento do Trabalho; custo das importações de petróleo aumentou 4,1%

Reuters

Os preços de importados nos Estados Unidos subiram em agosto pela primeira vez em cinco meses, à medida que o custo do petróleo saltou, um fator que pode pesar sobre os consumidores norte-americanos e alimentar uma inflação mais alta.

Os preços de importados avançaram 0,7% no mês passado, informou nesta quarta-feira o Departamento do Trabalho.

O custo das importações de petróleo aumentou 4,1%. Preços mais altos na bomba ameaçam ferir os bolsos dos consumidores.

Analistas esperavam que os preços gerais de importados subissem 1,4% em agosto.

Muitos economistas esperam que custos mais altos de combustíveis irão contribuir para um aumento de curto prazo na inflação. Ao mesmo tempo, há grandes expectativas de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, afrouxe a política monetária este ano, possivelmente lançando um novo programa de compra de títulos já nesta semana.

Havia poucos sinais de pressões inflacionárias mais amplas nos dados de importações. As importações não relacionadas a petróleo caíram 0,2%, um sinal de que o esfriamento da economia global está diminuindo a capacidade das empresas de aumentar os preços.

Os preços de importados dos maiores parceiros comerciais do país, Japão e China, ficaram estáveis. Os preços de importados da União Europeia caíram 0,4%.

O relatório do Departamento do Trabalho também mostrou que os preços de exportação subiram 0,9% no mês passado. Analistas esperavam alta de 0,4% para esse componente.