Tamanho do texto

Luciano Coutinho afirma que empresas esperam maturação de medidas de estímulo ao desenvolvimento, como desoneração de folha, redução de juros e dos custos de energia

Agência Estado

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho
Elza Fiúza/ABr
O presidente do BNDES, Luciano Coutinho

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta terça-feira que calcula haver entre R$ 40 bilhões e R$ 50 bilhões em projetos de investimentos travados no Brasil esperando a maturação do conjunto de medidas de estímulo ao desenvolvimento recentemente anunciadas pelo governo para avançar. Ele se referia não apenas ao pacote de redução do preço da energia , anunciado hoje e que terá efeito em 2013, mas também às outras ações de estímulo tomadas pelo governo nos últimos meses, como a desoneração da folha de pagamentos e a redução dos juros.

"Óbvio que para investir é preciso levar em consideração também as conjunturas de mercado, mas essa importante redução de custos produtivos é um passo muito relevante para destravar os investimentos em várias áreas do Brasil e não apenas em setores eletrointensivos", disse. Coutinho fez essa avaliação no Palácio do Planalto, após a cerimônia de lançamento de pacote de redução do preço da energia elétrica.

O presidente da Alcoa, Franklin Feder, disse também no Planalto que o pacote de redução do custo da energia é crucial não apenas para manter os investimentos da companhia no Brasil, mas também para garantir o emprego dos 6,4 mil funcionários da companhia. Ele afirmou, também, que empresas do ramo da Alcoa "estavam no limite".

Na avaliação de Feder, essa forte redução no preço da energia tirará as companhias do setor desse limite. "A conjuntura mundial não é boa para o nosso setor, então não estimula grandes investimentos. Mas, no que tange ao Brasil, essa medida é muito importante para pelo menos manter as nossas prioridades no País", declarou.