Tamanho do texto

Para o empresário, decisão do governo de exigir um contrato para a redução das tarifas de energia foi "muito inteligente" porque transfere ao consumidor o investimento que já foi feito

Agência Estado

O coordenador da Câmara de Gestão, Desempenho e Competitividade do governo federal, Jorge Gerdau
Elza Fiúza/ABr
O coordenador da Câmara de Gestão, Desempenho e Competitividade do governo federal, Jorge Gerdau

O presidente da Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade do governo federal, Jorge Gerdau, disse que o pacote anunciado nesta terça-feira pelo governo cria condições para que a matriz hidrelétrica brasileira de baixo custo seja repassada às indústrias para aumento da competitividade.

Para o empresário a decisão do governo de exigir um contrato para o corte das tarifas de energia foi "muito inteligente" porque transfere ao consumidor o investimento que já foi feito no parque elétrico nacional. Segundo ele, a energia produzida no País já foi amortizada três vezes, na forma de empréstimos compulsórios cobrados na conta de luz de empresas e de consumidores. "Não tem cabimento mais que essa energia seja remunerada pela quarta vez", afirmou.

Indagado sobre se novas licitações não sairiam mais barato do que a renovação das concessões, como prevê o pacote do governo, Gerdau disse que o tema é muito complexo e que demandaria uma modelagem mais complicada dos leilões. Para o empresário, da maneira como foi feito, o pacote permite o estabelecimento de investimentos e estratégia de longo prazo.