Tamanho do texto

Três maiores bancos privados do Brasil projetam um crescimento de pelo menos 1% da produção industrial no mês

Os três maiores bancos privados do Brasil estão prevendo um desempenho mais firme da produção industrial em agosto. Em estimativa preliminar, o Bradesco projeta que a indústria deve apresentar crescimento de 1% em agosto, ante julho, um cenário que se tornou mais positivo após os dados de fluxo nas estradas pedagiadas em agosto.

"Dados da ABCR, somados a outros indicadores, como a produção de automóveis divulgada na última semana pela Anfavea, sugerem, por ora, um crescimento de 1% da produção industrial em agosto", comentaram analistas do banco em relatório.

Veja também: Venda de papelão ondulado cresce 6,48%, informa ABPO

O economista-sênior do Bradesco, Robson Pereira, esclareceu que o banco trabalhava anteriormente com uma previsão de crescimento de 0,5% a 1% para a produção industrial em agosto, na comparação com julho, antes do dado de tráfego de veículos. A circulação dos veículos pesados pelas estradas com pedágios no mês passado avançou 4,4% sobre julho, conforme informou a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e Tendências Consultoria Integrada.

O Itaú Unibanco também compartilha da previsão de um crescimento de 1% da produção em agosto, ante julho, o que representará o terceiro aumento consecutivo. Em julho, a produção industrial cresceu 0,3%, na margem, após uma recuperação de 0,2% em junho. O dado da produção industrial de agosto só será divulgado no dia 2 de outubro.

Além do fluxo de veículos, outros indicadores justificam um maior otimismo em relação à indústria. De acordo com relatório divulgado hoje pela Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO), o volume de vendas de papel ondulado cresceu 6,48% em relação a igual mês de 2011. Sobre julho deste ano, o volume expedido foi 9,61% maior.

Leia ainda:  BNDES empresta R$ 336 milhões para a indústria do fumo, em cinco anos

Em relação ao setor automotivo, a produção e a venda de veículos em agosto bateram recorde histórico, segundo informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) na semana passada. A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no mercado brasileiro somou 329.266 unidades em agosto, uma alta de 10,6% na comparação com julho. As vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus aumentaram 15,3% em agosto ante o mês anterior.

Já a previsão do Santander é mais agressiva, de um crescimento de 1,5% da produção industrial em agosto, segundo executivos do banco. "Dados de vendas já se refletem em um aumento de produção," afirmou Maurício Molan, economista-chefe do banco. Segundio ele, números de consumo de energia, papelão ondulado e varejo sustentam a previsão mais otimista para a indústria brasileira no mês.

(Com Agência Estado)

Leia aindaBrasil está em bom momento para investimento em ações, diz Santander