Tamanho do texto

Atualmente, o Pátria tem sob gestão cerca de R$10 bilhões em ativos

Reuters

O Pátria Investimentos anunciou nesta quarta-feira a incorporação da equipe de gestão da MainStay e irá agregar ao seu portfólio três fundos de investimento da gestora com mais de R$80 milhões em ativos.

O Pátria, baseado em São Paulo, passará a contar em seu portfólio com os fundos Long Short FIM, Equity Hedge FIC FIM e Ações FIC FIA - anteriormente da MainStay -, disse o sócio responsável pela área de Capital Management do Pátria, Olímpio Matarazzo Neto, em entrevista na noite de terça-feira.

Ao ampliar a oferta de produtos financeiros que oferece, o Pátria quer garantir a seus clientes, 50% deles fora do Brasil, mais opções de investimentos em ativos no país, num momento em que as taxas de juros caíram para mínimas históricas e a economia começa a emergir de um ano de desaceleração.

Atualmente, o Pátria tem sob gestão cerca de R$10 bilhões em ativos. Mais de 90% do total está alocado em instrumentos de menor liquidez, como private equity e fundos de infraestrutura.

"É uma demanda dos nossos clientes. O Pátria é uma instituição que quer ter uma plataforma de produtos completa, desde um fundo DI de liquidez diária até um fundo de ações, passando por um fundo de infraestrutura ou de private equity", afirmou Matarazzo Neto.

O fundador da MainStay, Flávio Menezes, e quatro de seus funcionários se unirão ao Pátria como parte do acordo.

Gestores de recursos no Brasil estão realizado fusões e aquisições enquanto a cruzada do governo para reduzir os custos de financiamento no país dificulta obter retornos.

O declínio na taxa básica de juros está forçando fundos a construir uma base mais diversificada de instrumentos financeiros para atrair novos clientes.

Em setembro de 2010, o grupo norte-americano de private equity Blackstone Group pagou cerca US$200 milhões por uma participação de 40% no Pátria Investimentos, com o objetivo de expandir-se no segundo maior mercado emergente do mundo.