Tamanho do texto

IPCA teve variação de 0,41% no mês passado; no acumulado em 12 meses, índice registra alta de 5,24%

A inflação oficial do País, calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), encerrou o mês de agosto com alta de 0,41%. Essa é a maior variação do indicador para o período em cinco anos. Em agosto de 2007, o IPCA apresentou um avanço de 0,47%. No ano passado, no mesmo período, a alta havia sido de 0,37%.

O desempenho da inflação em agosto também ficou ligeiramente abaixo do resultado verificado em julho, quando houve variação de 0,43%.

Brasil tem pior desempenho entre os Brics e cresce menos que Chile e México

Banco Central faz novo corte na taxa de juros e Selic vai a 7,5% ao ano

Com este resultado, o acumulado no ano até agosto está em 3,18%. Considerando os últimos doze meses, o índice acumula alta de 5,24%.

Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

Segundo o IBGE, entre os grupos de produtos e serviços pesquisados, alimentação e bebidas foi o que apresentou o maior resultado, embora um pouco menor, passando para 0,88% em agosto após ter atingido 0,91% em julho.

Produção industrial cresce 0,3% em julho, segundo IBGE

Governo sobe imposto de importação de 100 produtos

Nas regiões metropolitanas de Fortaleza e Curitiba ocorreram as maiores altas nos alimentos, com 1,36% e 1,30%, respectivamente. Belém registrou o menor resultado, com 0,47%.

A meta de inflação definida pelo Banco Central para este ano tem centro em 4,5% e tolerância de dois pontos percentuais para mais (6,5%) ou para menos (2,5%).

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980 e se refere às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange nove regiões metropolitanas do País, além das cidades de Brasília e Goiânia.

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INP) apresentou variação de 0,45% em agosto, próximo ao resultado de 0,43% de julho. Com esse resultado, o acumulado do ano ficou em 3,46%, bem abaixo da taxa de 4,14% relativa a igual período de 2011. Considerando os últimos doze meses, o índice acumula alta de 5,39%. Em agosto de 2011, o INPC ficou em 0,42%.

O INPC é calculado desde 1979, se refere às famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos e abrange nove regiões metropolitanas do País, além de Brasília e Goiânia.