Tamanho do texto

Faturamento real teve queda de 2,4% no mês passado em relação a junho, mas subiu 5,5%, na comparação com julho de 2011

Agência Estado

A indústria brasileira apresentou sinais contraditórios em julho, segundo divulgou nesta quarta-feira a Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio do boletim Indicadores Industriais. A utilização da capacidade instalada subiu para 81,6% de 80,7% verificado em junho.

Já o faturamento real teve queda de 2,4% no mês passado em relação a junho (dado com ajuste), mas subiu 5,5%, na comparação com julho de 2011. No ano até julho, a expansão do faturamento real é de 3,4% ante igual período do ano passado.

Produção industrial cresce 0,3% em julho, segundo IBGE

Outro indicador que apresentou sinais distintos foi o do emprego, que subiu 0,2% de junho para julho, dado dessazonalizado, mas caiu a mesma magnitude (-0,2) na comparação de julho com igual mês de 2011.

O volume de horas trabalhadas apresentou queda nas duas bases de comparação: caiu 0,3% no dado dessazonalizado, na margem, e perdeu 1,3% na comparação anual. A massa salarial real, segundo a CNI, registrou alta de 4,1%, em julho na comparação com julho de 2011, enquanto o rendimento médio real subiu 4,3% nessa mesma relação.

No primeiros sete meses do ano, o volume de horas trabalhadas acumula queda de 1,5% e o de emprego, -0,1%. Já a massa salarial real e o rendimento médio real registram alta de 6,1% cada nesse mesmo período.