Tamanho do texto

No varejo ampliado, que inclui veículos, motocicletas, partes e peças, a confiança recuou 4,3% no indicador trimestral até agosto, após ter registrado queda de 3,3% no período de três meses encerrado em julho

Reuters

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 4% na média do trimestre concluído em agosto, frente ao mesmo período do ano passado, ao passar de 131,1 para 125,8 pontos, informou nesta terça-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV).

No resultado anterior, referente ao período de três meses findos em julho em comparação com igual trimestre de 2011, a FGV havia anunciado queda de 3,4%, aos 125,3 pontos.

O setor de Varejo Restrito teve baixa de 4,1% no trimestre findo em agosto na comparação com o mesmo período do ano passado, ante queda de 2,2% em julho.

No Varejo Ampliado, setor que inclui veículos, motocicletas, partes e peças, a confiança recuou 4,3% no indicador trimestral até agosto, após ter registrado queda de 3,3% no período de três meses encerrado em julho.

A FGV destacou que, pelo terceiro mês consecutivo, as taxas trimestrais na comparação anual do segmento Veículos, motos e peças evoluíram de forma positiva, passando de -4,5% em julho para -3,4% em agosto.

Já no Atacado, o índice de confiança caiu 2,9% no trimestre até agosto, depois de perder 3,7% no resultado dos três meses anteriores.

Por sua vez, o indicador do estudo que mede a percepção do setor em relação à demanda no momento atual - o Índice de Situação Atual (ISA-COM) médio - registrou 96,7 pontos no trimestre encerrado em agosto, nível inferior ao obtido no mesmo período do ano anterior, de 100,8 pontos. Com isso, nos três meses até agosto, houve queda de 4,1% no quesito.

Entre as empresas consultadas, 19,4% avaliaram o nível atual de demanda como forte e 22,7%, como fraca. No mesmo período de 2011, estes percentuais haviam sido de 20,5% e 19,7%, respectivamente.

Completando a Sondagem do Comércio, o indicador trimestral do Índice de Expectativas (IE-COM) recuou 4% em agosto na comparação com um ano antes. Em julho, houve queda de 4,2% no mesmo quesito.

Dentre as empresas consultadas, 61,3% esperam aumento das vendas e 4,1%, diminuição, contra 65,3% e 4%, respectivamente, em 2011.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga no dia 13 de setembro os números sobre as vendas no varejo no Brasil referentes a julho.

Em junho, as vendas do setor surpreenderam ao registrar alta de 1,5% ante maio, muito acima da expectativa do mercado.