Tamanho do texto

Ritmo de crescimento ainda foi um dos mais fracos desde que o setor parou de encolher em outubro de 2009

Reuters

O ritmo de crescimento da indústria norte-americana continuou fraco em agosto, à medida que as exportações caíram pelo terceiro mês seguido e as empresas mostram lentidão em contratar novos funcionários, mostrou nesta terça-feira uma pesquisa do instituto Markit.

O Índice final de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) ficou em 51,5 em agosto, abaixo da estimativa preliminar de 51,9. Uma leitura acima de 50 indica expansão da atividade.

Um pequeno aumento na produção e nas novas encomendas totais ajudaram a deixar o índice acima de 51,4, ponto em que ficou no final de julho.

Mas o ritmo de crescimento ainda foi um dos mais fracos desde que o setor parou de encolher em outubro de 2009. Novas encomendas de exportação foram um obstáculo para a atividade, ao passo que crescimento lento ou negativo na Europa e em outros lugares afetou a demanda por produtos norte-americanos.

O economista do Markit Mark Wingham afirmou que a expansão no setor foi "apenas modesta" em agosto. Sem um salto significativo da atividade no mês que vem, "o crescimento do terceiro trimestre será provavelmente o mais fraco desde que a recuperação começou."

A contratação em agosto foi a mais lenta desde dezembro de 2010, o que Dobson diz refletir parcialmente as fracas tendências gerais na produção e nas novas encomendas. O componente de emprego do índice caiu para 52,4 ante 52,7 em julho.

A economia norte-americana cresceu a um ritmo de 1,7% no segundo trimestre, levemente acima da estimativa inicial de 1,5%.