Tamanho do texto

Trabalhadores pedem reajuste de 22%; greve-relâmpago obrigou o Banco Central a transferir para Brasília todo o monitoramento do Sistema de Pagamentos

Agência Estado

Funcionários do Banco Central no Rio de Janeiro e em São Paulo decidiram, nesta quinta-feira, fazer uma paralisação de duas horas em protesto à resistência do governo em negociar uma reposição salarial para a categoria.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Banco Central, Sérgio Belsito, se reúne nesta quinta-feira com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para apresentar a proposta da categoria, que pede um reajuste de 22%.

O porcentual corresponde à reposição da inflação desde 2008, data do último aumento obtido pelos trabalhadores do órgão.

A greve-relâmpago dos funcionários obrigou o Banco Central a transferir para Brasília todo o monitoramento do Sistema de Pagamentos.

Também a mesa de Operações do Marcado de Capitais é operada em sistema de contingência por funcionários do banco, no prédio da Anbima.

O sindicato da categoria calcula que a adesão dos funcionários à paralisação no Rio de Janeiro tenha chegado a 85% e em São Paulo, a 50%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.