Tamanho do texto

Instituto diz que ainda que movimento não tenha sido suficiente para redução significativa na taxa de desocupação, mostra que o mercado já começou a contratar

Agência Estado

O mercado de trabalho "mostra uma tendência forte" de geração de vagas em maio, segundo Cimar Azeredo, gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira. As novas contratações levaram a um aumento do nível de ocupação, de 53,7% em abril para 54,2% em maio, embora a taxa de desemprego não tenha recuado tanto (de 6,0% em abril para 5,8% em maio).

LeiaTaxa de desemprego em maio é de 5,8%, diz IBGE

O nível de ocupação contabiliza a proporção de pessoas ocupadas em relação à população em idade ativa. O número de ocupados atingiu o montante recorde de 22,984 milhões em maio.

"O mercado contratou, abriu vagas. Isso fez com que o nível da ocupação aumentasse. Ainda que esse movimento não tenha sido suficiente para uma redução significativa na taxa de desocupação, mostra que o mercado já começou a contratar, e fez com que esses contratos viessem com qualidade de emprego, com aumento da carteira assinada em relação a abril", apontou Azeredo.

MaisIBGE minimiza queda da renda de trabalhador em maio

O pesquisador ressaltou que embora não seja considerado relevante estatisticamente o aumento de 1,1% no emprego com carteira assinada em maio refletiu a entrada de 119 mil trabalhadores na formalidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.