Tamanho do texto

Expectativa é de que o crescimento econômico tenha sido fraco pelo sexto trimestre seguido entre abril e junho, devido ao impacto da crise europeia

Reuters

O setor industrial da China encolheu pelo oitavo mês seguido em junho, quando o sentimento relativo às encomendas de exportação atingiu o nível mais fraco desde o início de 2009, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI) do instituto Markit.

O índice caiu para uma mínima de sete meses de 48,1 em junho de acordo com a leitura preliminar, ante 48,4 em maio. O resultado marcou o oitavo mês seguido em que o PMI ficou abaixo de 50, indicando contração e igualando série similar vista na desaceleração durante a crise financeiro de 2008/09.

MaisChina poderá cortar compulsório se desaceleração persistir

Após uma performance econômica fraca em abril e maio, o PMI sugere que junho foi pouco melhor, acabando com as esperanças de que a atividade mostraria sinais de aceleração no segundo trimestre.

A expectativa é de que o crescimento econômico tenha sido fraco pelo sexto trimestre seguido entre abril e junho, uma vez que o país sente o impacto da crise da dívida da zona do euro e os controles sobre o setor imobiliário pesam sobre a demanda doméstica.

TambémEmpresas brasileiras na China sofrem com 'falta de informações'

Os números preliminares do PMI indicam pressão tanto na economia orientada pela situação doméstica quanto pela externa.

O subíndice de novas encomendas recuou em junho e o de novas exportações caiu com mais força, para 45,9, menor nível desde março de 2009.

Leia aindaMudanças econômicas geram novos debates na China

O componente que mais chama a atenção no PMI foi a perspectiva de baixa para as exportações no índice de encomendas, que ficou duas vezes neste ano acima de 50 -o que indica expansão- em vez de retrair em seguida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.