Tamanho do texto

Sete dos oito grupos que compõem o indicador desaceleraram a alta ou registraram maiores perdas de preços; destaque ficou com Transportes

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou para uma alta de 0,28% na segunda quadrissemana de junho, depois de avançar 0,43% no período anterior, informou Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira.

Sete dos oito grupos que compõem o indicador desaceleraram a alta ou registraram maiores perdas de preços, sendo que o destaque ficou com Transportes, cuja queda de preços passou de 0,39% para 0,65%.

MaisFipe deve revisar projeção do IPC para abaixo de 5%

Nesta classe de despesa, uma importante variação foi o comportamento do item automóvel novo, cuja taxa passou de -2,08% para -3,46%.

Também apresentaram decréscimo os grupos Despesas Diversas (3,63% para 2,38%), Habitação (0,44% para 0,29%), Vestuário (0,65% para 0,40%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,54% para 0,45%), Alimentação (0,76% para 0,74%) e Educação, Leitura e Recreação (0,14% para 0,08%).

Por sua vez, apenas o grupo Comunicação, que passou de -0,18% para -0,06%, registrou acréscimo em sua taxa de variação.

MaisFipe: IPC cai para 0,28% na 1ª quadrissemana de junho, de 0,35% maio

Na sexta-feira, a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou que o Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou em junho para uma alta de 0,73%, após avanço de 1,01% em maio.

Recentemente indicadores de inflação vêm dando sinais de arrefecimento. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), por exemplo, desacelerou para uma alta de 0,36% em maio, após subir 0,64% em abril.

TambémIPC-S da 1ª quadrissemana de junho desacelera para 0,43%, segundo FGV

Esse cenário é importante para o Banco Central dar continuidade à sua política de redução da Selic, atualmente no recorde de baixa de 8,50% ao ano, visando a incentivar a atividade diante das dificuldades da economia brasileira em deslanchar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.