Tamanho do texto

Diretor executivo da estatal chinesa Sinopec disse que a petroleira elevará os investimentos no Brasil e pretende associar-se à Petrobras para crescer no país

A China quer aumentar sua participação em blocos exploratórios em mar no Brasil e aguarda nova rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O diretor executivo da estatal chinesa Sinopec, Fu Chengyu, disse ontem que a petroleira elevará os investimentos no Brasil e já tem clara a estratégia de expansão: associar-se à Petrobras.

Fu garantiu que a companhia chinesa, com investimentos de US$ 12 bilhões no Brasil desde 2004, não será operadora de campos. “Acreditamos que a parceria é um bom caminho para nós, especialmente com uma companhia local, que entende melhor as regras do governo e as necessidades da sociedade”, disse Fu após sessão fechada no fórum de sustentabilidade corporativa da Rio+20.

LeiaBrasil importa até feijão-preto da China

Recentemente, houve rumores de que a Sinopec seria uma de duas empresas chinesas interessadas em comprar uma fatia da OGX, num negócio que poderia chegar a US$ 7 bilhões. Mas, quando perguntado se parceria é principalmente com a Petrobrás ou inclui a petroleira do empresário Eike Batista, Fu foi taxativo.

“Principalmente com a Petrobras. A Petrobras é a melhor empresa que conhecemos, acredito que seja nosso melhor parceiro aqui. Não somos melhores que eles. Eles têm um entendimento (do mercado local), então confiamos neles.” Na área de exploração e produção, a Sinopec (40%) tem associação com a espanhola Repsol (60%) na Bacia de Campos e recentemente confirmou grande potencial do campo Pão de Açúcar, com 700 milhões de barris de óleo leve. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.