Tamanho do texto

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano sobre o mesmo período de 2011, a procura por crédito apresenta queda de 7,6%

O Indicador da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgado nesta terça-feira pela Serasa Experian, subiu 14% em maio na comparação com o mês anterior, após ter recuado 11,2% em abril. Em relação a maio de 2011 houve queda de 7,5%, recuo menor do que os 9,8% verificados na comparação anualizada de abril. A procura por crédito apresenta queda de 7,6% no acumulado dos cinco primeiros meses do ano sobre o mesmo período de 2011.

De acordo com a empresa, o Dia das Mães, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no setor automotivo e os anúncios de reduções das taxas de juros pelos bancos animaram o consumidor em maio. "Apesar desta reação, os níveis mais elevados de inadimplência e de endividamento do consumidor ainda mantêm a demanda por crédito em patamares inferiores aos registrados ao longo do primeiro semestre de 2011", afirma a Serasa Experian, em nota à imprensa.

Consumidores que ganham até R$ 500 por mês e os que têm renda entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais foram os que mais buscaram crédito em maio, com altas de 16,3% e 15%, respectivamente, ante abril. No acumulado do ano, porém, apenas o primeiro grupo aumentou a busca por crédito em relação ao mesmo período de 2011, ainda sim com uma alta modesta de 1,9%. Todos os outros - com vencimentos a partir de R$ 500 e acima de R$ 10.000 mensais - apresentam recuo no acumulado do ano, entre 7,3% e 8,9%.

Na análise por regiões do País, o destaque ficou para os Estados do Sul, que apresentaram alta de 16,3% no indicador em maio ante abril. No entanto, no acumulado do ano sobre o mesmo período de 2011, o Sul é a região que apresenta a maior variação negativa deste índice (-9,2%). Todas as outras regiões estão no campo negativo nesta base de comparação. No Sudeste, o recuo em 2012 chega a 8,7%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.