Tamanho do texto

Agência afirma que provavelmente reduzirá a nota norte-americana se o governo federal não colocar a situação fiscal em ordem

Um executivo da agência de classificação de risco Fitch afirmou nesta quinta-feira que a empresa provavelmente rebaixará o rating dos EUA se o governo federal não colocar a situação fiscal em ordem.

Leia mais:  Bernanke dá poucos sinais de um novo estímulo do Fed

"Os EUA não têm um plano de consolidação fiscal credível. Se nós não virmos um plano credível após as eleições, eu esperaria um rebaixamento", comentou o diretor-gerente do grupo de ratings soberanos da Fitch, Ed Parker, falando em uma conferência da agência.

Atualmente a Fitch atribui o rating máximo triplo A aos EUA, mas com perspectiva negativa. E os comentários de Parker reiteram essa postura. O executivo disse que a Fitch também atribui perspectiva negativa para Reino Unido e França e que, juntamente com a Alemanha, esses são os únicos países com o rating triplo A, mas também são os mais endividados. "Existe um limite para o quanto as dívidas desses governos podem crescer", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Veja também: Agência de risco Fitch corta nota da dívida do Japão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.