Tamanho do texto

Destaque no período foi o avanço de 7,12% verificado no Recife, segundo pesquisa do Dieese

A cesta básica ficou mais cara na maioria das cidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em maio. De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgada nesta segunda-feira, houve alta de preço em 15 das 17 capitais, com destaque para o avanço de 7,12% no Recife.

Em Fortaleza, o valor dos alimentos de primeira necessidade subiu 6,91%, seguida por Salvador (4,74%), Goiânia (4,69%) e João Pessoa (4,14%). Houve retração de preços em apenas duas capitais: Florianópolis (-1,01%) e Brasília (-0,90%).

No acumulado de 2012 até maio, contudo, cinco das capitais pesquisadas registram variação negativa no preço da cesta básica, ante seis em igual intervalo até abril. As maiores quedas do período são vistas em Florianópolis (-2,72%), Porto Alegre (-1,59%) e Vitória (-1,54%). Em contrapartida, as maiores elevações estão no Recife (11,08%) e João Pessoa (10,64%). Em São Paulo, a cesta básica tem variação positiva de 2,32%.

No acumulado dos últimos 12 meses até maio, as 17 capitais pesquisadas apresentam alta no preço da cesta básica. Os maiores aumentos no período foram apurados no Recife (15,54%), João Pessoa (12,87%), Salvador (12,77%) e Manaus (11,13%). As menores altas acumuladas estão em Florianópolis (0,07%) e Rio de Janeiro (0,19%).

O Dieese realiza mensalmente a Pesquisa Nacional da Cesta Básica nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.